Autoconhecimento Psicologia Reflexões Psicológicas

Dieta emocional – Quais as raízes que tem você tem alimentado em sua vida?

Dieta emocional

“A qualidade de sua vida depende do que você está alimentando e fortificando”

O que vou falar talvez seja óbvio, visto que é sempre relatado e discutido, mas infelizmente nem sempre posto em prática pela maioria das pessoas. Refiro-me ao que você alimenta e fortifica em sua vida.

Será que você está tendo hábitos, atitudes e posturas coerentes com os resultados que deseja para si?

Observe os fenômenos a sua volta. Vou citar como exemplo uma planta. Para que esta se desenvolva saudável, são necessárias determinadas condições ambientais, pois de outro modo ela definha e morre.

O mesmo acontece em nossa vida. Quais são os sentimentos,os propósitos, os hábitos, os relacionamentos que você está alimentando agora na sua vida? Seja lá o que for, uma vez alimentado, vai se fortificando, criando raízes, fazendo parte de você, ocupando espaço e criando proporções significativas; ou seja, vai fazendo parte da sua energia vital. Simples assim, porém nem sempre fácil de desvencilhar-se depois.

Para ilustrar esta questão, gostaria de falar do ressentimento. Escolhi o ressentimento como ilustração por ser este, infelizmente, um sentimento que ainda faz parte da nossa condição humana egóica e que uma vez dado vida vai atrapalhar os outros pontos, inclusive os de prosperidade e bem estar pessoal e relacional.

O que acontece é que, muitas vezes, um simples mal entendido ou queixa, discussão de pouca monta que poderia ser relevada, ou até mesmo um desentendimento sério, continua sendo alimentado e criando raízes, abrindo espaço para a mágoa, ressentimentos, rancores e até mesmo ódio. E daí, podendo tomar proporções gigantescas que ninguém sabe de onde saiu tudo isso. Muito simples: foi alimentado!

Sentimentos tais não podem estar alinhados ao progresso e à prosperidade. Quando me refiro a prosperidade, não se trata somente da material, mas da prosperidade em todos os sentidos. Portanto, trabalhe estes sentimentos indesejáveis o mais rápido possível.

Muitas vezes, é necessário perdoar uma ofensa e seguir adiante para que um ressentimento não atrapalhe o seu próprio progresso, bem como dos outros que estão a sua volta. Mas, talvez você dirá: “Porque vou perdoar?” E se fosse com você , seria capaz de perdoar?” “Palavras são muito fáceis, escrever também”.

Mas, na vivência, algumas experiências geram muito sofrimento. Mesmo assim, liberte-se. Quando você perdoa um ressentimento ou uma mágoa, estará se libertando de um peso, e dando espaço para que outros sentimentos possam ocupar este lugar. Sentimentos estes que você merece: amor, paz, tranquilidade, prosperidade, bem estar e felicidade. Estes sim, devem estar enraizados em seu ser. 

Para refletir:

As pessoas relatam constantemente que tudo o que elas mais desejam da vida é, exatamente, o que normalmente elas estão esquecendo de alimentar. Desejam ser prósperas e felizes, gostariam de ter relacionamentos interpessoais duradouros, gratificantes, familias estruturadas, ambiente de trabalho saudável; enfim, tudo de bom. No entanto, muitas vezes elas não estão contribuindo com as condições necessárias para que estas coisas aconteçam, e sendo assim, acabam sendo contraditórias.

E isto vale para tudo na vida…

E então, o que você tem definido para fazer parte da sua vida?

No final, a escolha é sua. Alimente o que é bom para a sua vida e deixe estas raízes crescerem e se fortificarem.

Abraços transmutadores,

Soraya Rodrigues de Aragão

Nota: Os Direitos Autorais no Brasil são regulamentados pela Lei Lei 9.610 . A violação desses direitos está prevista no artigo 184 do Código Penal. Este artigo pode ser publicado em outros sites, citando o autor, bem como a fonte.

Sobre a autora

Soraya Rodrigues de Aragão

Psicóloga, psicotraumatologista, Expert em Medicina Psicossomática e Psicologia da Saúde. Escritora e palestrante. Em processo de Formação em Terapia de casal e violência conjugal.

Equivalência do curso de Psicologia na Itália resultando em Mestrado. Especializou-se em Psicotraumatologia pela A.R.P. de Milão e em Medicina Psicossomática e Psicologia da Saúde - Universidad San Jorge (Madri) e Sociedad Española de Medicina Psicosomática y Psicoterapia.

Sócia da Sociedade Italiana de Neuropsicofarmacologia e membro da Sociedade Italiana de Neuropsicologia. Autora do livro Fechamento de Ciclo e Renascimento: este é o momento de renovar a sua vida. Edições Vieira da Silva, Lisboa, 2016; e do Livro Digital: "Transtorno do Pânico: Sintomatologia, Diagnóstico, Tratamento, Prevenção e Psicoeducação. É autora do projeto «Consultoria Estratégica em Avaliação Emocional».

1 comentário

  • Pois é, Soraya, hoje mesmo falava com você sobre a necessidade de trabalhar o emocional. Como quem procura, normalmente, uma hora acha, esse momento não demorou muito. Bastante elucidativa essa sua reflexão sobre a Dieta Emocional, vai ajudar-me no prosseguimento dos ” passinhos”, felizmente já dados, neste sentido. Gostaria apenas que me informasse se tem algum livro contendo estas Reflexões Psicológicas, pois gostaria de tê-las num só local. Por exemplo copiá-las e ir colocando numa pasta para minha consulta particular. Contudo, não dá, pela impossibilidade de imprimí-las, mesmo, claro, colocando os devidos créditos. Há amigas com as quais gostaria de partilhar, essas excelentes reflexões, mas como disse àcima, não tem sido possível. Agradeço se puder orientar-me neste sentido. Um grande e muito agradecido abraço.

Deixe uma resposta